(11) 4225-1378

clinicalpets.atendimento@hotmail.com

AV Conde Francisco Matarazzo 615 S.C.Sul -SP

Autorizada para a aplicação em finalidade veterinaria da Ozonioterapia

Campanha de Castração - Nov/2018

(Cães e Gatos)

     Ao contrário do que algumas pessoas ainda imaginam, a castração não é um procedimento complicado, demorado, e que impõe sofrimento ao pet, seja durante o procedimento ou no período de recuperação (pós cirúrgico).

 

   

   

 

 

 

 

 

 

   

 

    Como a maior parte das doenças que acometem cães e gatos são sexualmente transmissível, a castração colabora para que a disseminação de tais doenças não atinja um número maior de pets e animais abandonados.

    Uma vez que o pet passa pelo processo de castração ele deixa de ter aquele ímpeto de procurar um(a) parceiro(a) para “cruzar”, e assim diminui-se o risco de ele fugir de casa e ir para rua, expondo-se a brigas e atropelamentos. Esse é outro fator que colabora para a queda da mortalidade desse pet. Um pet que viveria 17 anos agora passa a ter uma vida mais longa e saudável, podendo chegar a quase 25 anos.

    Não é correto afirmar que o pet torna-se apático após a castração, ambos, tanto gato quanto cachorro, permanecem seguindo seus instintos e sua rotina, a única mudança é em relação ao seu interesse em acasalar.

   

,

    São cerca de 44,3 milhões de cães e gatos no Brasil, com a sorte de ter um lar. Mas outros

30 milhões estão abandonados. (É um número muito superior ao de populações de pessoas de países inteiros).

    Essa foi uma configuração que os humanos projetaram, mas de forma egoísta, pois não pensamos nos cuidados necessários que exigem a criação e conservação dos pets em nossos lares.

    Gatos e cachorros são altamente férteis, seus órgãos sexuais amadurecem em poucos meses, o período de gestação chega a ser três vezes menor que o dos seres humanos, podem ter até 3 ninhadas por ano, concebendo até 8 filhotes por ninhada. E quando não castrado um gato (para citar como exemplo) pode viver em média 17 anos.

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                              Se você tem um plano eficiente que contemple a dignidade dos filhotes (por toda a vida) e dos pais deles, que não afete a saúde de nenhum deles e garanta uma vida plena, por favor compartilhe conosco. Pois ajudará muitos tutores que estão vivendo esse dilema.

     Nós sabemos que a solidariedade humana não acompanha essa demanda por filhotes a serem adotados, daí cabe aos órgãos responsáveis recolher aqueles que estão nas ruas e dar um destino nem sempre digno. Mas também não é digno deixa-los abandonados a própria sorte nas ruas.

     Está aí o porquê de querermos sensibilizá-lo com a importância dessa campanha. E esperamos que você veja nela a oportunidade de quebrar esse ciclo perverso (ou o risco do ciclo), por meio da prevenção (castração) do seu Pet.

     Nós agradecemos, e eles ainda mais!

     O procedimento, que pode ser realizado á partir do quarto mês de vida, quando o pet já tomou as primeiras vacinas necessárias, e ainda não teve o primeiro cio, diminui para quase zero o risco de a fêmea desenvolver câncer de mama, e do macho desenvolver câncer de próstata. Isso para citar apenas alguma das muitas doenças que acomete a vida dos pets.

    Outro fator muito importante a ser levado em consideração, é que boa parte dos animais que domesticamos são originalmente selvagens. Com o desenvolvimento de nossa civilização, passamos a nos concentrar cada vez mais em regiões específicas, de acordo com nossas necessidades e conveniências. Ao chegar nos locais onde nos estabelecemos passamos a criar um estilo de vida onde coisas e pessoas outrora espalhadas agora encontra-se mais próximas (o que inclui os animais que domesticamos). Hoje, nas grandes cidades principalmente, há uma grande concentração de gatos e cachorros que trouxemos conosco.

    Isso significa que se, por exemplo, uma gata tiver em 1 ano três gestações, com até 4 filhotes por ninhada, vivendo a média de 17 anos, ao final de sua vida terá gerado 204 filhotes.

    Se 5 fêmeas de uma mesma ninhada conseguir cumprir seu ciclo de vida, terão gerado juntas em média 1020 filhotes.